39Kg de Cocaína entre os homens de confiança do Presidente




Um fato bastante inusitado envolvendo o Presidente Jair Bolsonaro chamou a atenção neste dia.


Um militar que viajava com a comitiva presidencial foi preso na Espanha com 39 quilos de cocaína. Tráfico internacional de drogas, um crime de extrema relevância entre cidadãos civis e que chama a atenção quando se trata de um militar dentro de uma aeronave da Força Aérea Brasileira.


Quero apenas destacar três aspectos deste fato:

Primeiro, o presidente não tem nada haver com isto, com certeza ele não sabia de nada, está totalmente inocente nesta história, bem como, os demais membros do alto escalão que o acompanham.

O segundo aspecto a salientar é que este é um presidente polêmico, amado por muitos e odiado por boa parte da população, assim como um indivíduo conseguiu embarcar tamanha quantidade de droga num dos aviões presidencial burlando toda a segurança, poderia ter implantado um explosivo ou qualquer outro tipo de material destrutivo dentro do avião presidencial e praticado um ato de terrorismo envolvendo inclusive o Presidente da República.


E o terceiro aspecto é que "peixe morre pela boca", dentre as diversas críticas do governo em relação as universidades, está a de que as universidades são antros de uso de drogas. Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro, chegou a afirmar durante entrevista a uma rádio em 2017 que "universitário só quer suruba e maconha". Pelo jeito, drogas é um problema que perpassa as universidades e chega até as Forças Armadas também.

Diante deste fato o que fica é a vergonha perante a comunidade internacional de um governo que não consegue assegurar lealdade e segurança nem mesmo a nível presidencial. Aliás, como podemos exigir segurança se o próprio Ministro da Justiça e Segurança Pública está sob suspeita de ter cometido um crime gravíssimo contra a Democracia e o Estado de Direito.

Vale salientar que este militar estava na sua vigésima nona viagem com a comitiva presidencial, tendo viajado em comitivas com a presidente Dilma e o presidente Temer. Porém, isto não quer dizer em hipótese alguma, até que se prove o contrário, que este militar tenha traficado drogas nas viagens anteriores, muito menos nas viagens com os ex-presidentes.

Este é um caso para ser investigado minuciosamente, deve-se descobrir a origem, o destino e a quanto tempo este oficial atuava no tráfico internacional. Talvez este caso seja apenas a ponta de mais um iceberg envolvendo diversas pessoas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário