QUINTA-FEIRA SANTA. Missa do Crisma ou dos Santos Óleos

A Quinta-Feira Santa marca o início do Tríduo Pascal, que correspondem aos três dias centrais da Vida de Cristo, que são sua Paixão, Morte e Ressurreição.

A primeira Celebração do Tríduo Pascal acontece no período da noite com a Santa Missa do Lava-Pés e da Instituição da Eucaristia. É a Missa das Missas, porque nesta Missa celebramos a Instituição (criação) da Missa pelo próprio Nosso Senhor Jesus Cristo.

Mas o que pouca gente sabe, é que no período da manhã a Igreja já está vivenciando a Quinta-Feira Santa com a Celebração da Missa do Crisma ou Missa dos Santos Óleos ou ainda Missa da Unidade.

Como sabemos, nos ritos dos Sacramentos do Batismo, da Unção dos Enfermos e da Crisma, o celebrante unge a pessoa em que está sendo ministrado o Sacramento, está unção acontece com os óleos abençoados e consagrados na Quinta-Feira Santa pela manhã.
<< Ungido é um adjetivo que qualifica aquele que se ungiu, ou seja, que foi untado com óleos consagrados, que recebeu extrema-unção, aquele que foi submetido à cerimônia de sagração, que foi investido de autoridade por meio de unção, que foi fomentado com unguento, que é uma substância que tem por base um óleo consagrado.Ungido é aquele que passou pelo processo de unção, no qual se passou óleos consagrados ou aromáticos, para lhe conferir poder ou dignidade, purificação ou extrema-unção.Segundo a crença religiosa, um ser ungido está sob a proteção divina e a unção pode curar ou confortar alguma enfermidade física ou perdoar os seus pecados. >>
 Esta é a definição de 'ungido' obtida no portal: www.significados.com.br


Vamos tentar entender de uma forma bem simples no que consiste esta Missa.

Como sabemos, na Quinta-Feira Santa a noite, celebramos a Instituição da Eucaristia, através do gesto de Jesus Cristo, durante a última ceia, de elevar o pão e o vinho aos céus e pronunciar as palavras: "Tomai e comei [...] este é o meu Corpo..." e Tomai e bebei [...] este é o meu Sangue...", finalizando com as palavras "Fazei isto em minha memória!", estava sendo criado o Sacramento da Eucaristia e a ordem para que este gesto se propagasse em memória do Cristo através dos seus apóstolos. Hoje, nossos sacerdotes, sucessores dos apóstolos, estão incumbidos de tornar presente a memória de Cristo na Eucaristia.

Portanto, ali na última ceia, Jesus se torna sacerdote e instituí o Mistério da Santa Missa e o Mistério Sacerdotal.

A Missa do Crisma, é também a Missa da Unidade da Igreja, pois nela se reúnem todos os padres e diáconos de cada diocese em torno do seu bispo, o pastor daquela igreja particular, e renovam as promessas sacerdotais.



Nesta Celebração Eucarística acontece também a benção dos óleos dos catecúmenos (batismo) e da unção dos enfermos e diferente destes dois primeiros que são abençoados, é Consagrado o óleo do Crisma.

A palavra "crisma" significa "óleo que unge", por isso chamamos de "Missa do Crisma".
<< do Grego KHRISMA, “óleo, unguento, material para esfregar na pele”, de KHRÍEIN, “untar”. >>
Esta é a definição de 'crisma' obtida no portal: www.origemdapalavra.com.br


O óleo abençoado é óleo de oliveira, já o óleo Crismal é óleo de oliveira acrescido de perfume, também chamado de bálsamo.

Em caso de necessidade e respeitando algumas condições, os óleos dos catecúmenos e da unção dos enfermos podem ser abençoados por um presbítero (padre), no entanto, o óleo do Crisma só pode ser consagrado pelo bispo.

O óleo dos catecúmenos é utilizado no peito da pessoa, criança ou adulto que será batizado, antes de passar pela imersão na água batismal.

O óleo da unção dos enfermos é utilizado durante a visita a uma pessoa doente em perigo de morte, unge-se a fronte e as palmas das mãos do enfermo.






O óleo do Crisma é utilizado em várias ocasiões, no Sacramento do Batismo após a imersão na água batismal é ungida a fronte do batizado, na cerimônia de Crisma é passado na fronte do Crismando e também é utilizado na ordenação presbiteral onde o novo padre recebe o óleo nas palmas das mãos e na ordenação episcopal onde no novo bispo recebe a unção na fronte.


O óleo do Crisma é ainda utilizado na Dedicação de uma nova Igreja e na Consagração do Altar, resumidamente estes gestos seriam a inauguração de um novo Templo, casa de Deus, lugar de oração, dedicado e consagrado a Santíssima Trindade.

Há vários relatos bíblicos sobre a unção com óleos, simbolizando a consagração a Deus, a incumbência a uma missão profética, a palavra "Cristo" significa "O Unigido" portanto Cristo é o ungido, o escolhido, o enviado de Deus para a Missão. 

O católico que tem a oportunidade de participar de perto da Celebração dos Santos Óleos, consegue perceber mais significativamente a riqueza contida nestes óleos e consequentemente nos Sacramentos.

Veja agora a oração feita pelo bispo para abençoar e consagrar de cada um deste óleos:


ORAÇÃO DE BENÇÃO DOS ÓLEOS DOS ENFERMOS
Senhor nosso Deus, Pai de toda a consolação, que por vosso Filho quisestes aliviar as dores dos enfermos, atendei com bondade a oração da nossa fé. Enviai do céu o Espírito Santo Consolador sobre este óleo que Vos dignastes produzir da árvore para refazer as forças do corpo humano. Com a vossa ✠ bênção, sirva a quantos forem com ele ungidos de auxílio do corpo, da alma e do espírito, para alívio de todas as dores, fraquezas e doenças. Seja para nós, Senhor, por vossa bênção, óleo santo, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo. AMÉM!
ORAÇÃO DE BENÇÃO DOS ÓLEOS DOS CATECÚMENOS

Senhor nosso Deus, fortaleza e proteção do vosso povo, que fizestes do óleo o sinal do vigor, dignai-Vos abençoar ✠ este óleo; concedei a fortaleza aos catecúmenos que serão com ele ungidos, a fim de que, recebendo a sabedoria e a força do alto, compreendam melhor o Evangelho de vosso Filho, defrontem com grandeza de ânimo os trabalhos da vida cristã, e, tornados dignos da adoção de filhos, se alegrem com a graça de renascer e viver na vossa Igreja Santa. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. AMÉM! 
CONSAGRAÇÃO DO ÓLEO DO CRISMA

Vale observar que Consagração do Óleo Crismal possui um rito muito mais rico do que a benção sobre os demais óleos.



Primeiramente o bispo realiza a mistura do perfume no óleo, em seguida em pé, sem a mitra, convida a assembléia a rezar:

Oremos, irmãos caríssimos, a Deus Pai todo-poderoso, para que abençoe e santifique este óleo; e os que forem ungidos com ele em seu corpo, sejam também ungidos em sua alma e se tornem dignos da redenção divina.

Seguidamente, o Bispo sopra sobre a âmbula do crisma. Depois, de braços abertos, diz uma das seguintes orações de consagração:



ORAÇÃO N. 1
Senhor nosso Deus, autor de todo o crescimento e progresso espiritual, aceitai benignamente o louvor agradecido que, pela nossa voz, a Igreja Vos tributa com alegria. Fostes Vós que, no princípio, dissestes à terra que produzisse árvores de fruto; entre elas nasceriam as oliveiras, cujo precioso óleo havia de servir para o santo crisma. O vosso servo David, antevendo em espírito profético os sacramentos da vossa graça, cantou a alegria que ao rosto havia de dar o óleo perfumado; e quando os crimes do mundo foram lavados nas águas do dilúvio, uma pomba anunciou a paz restituída aos homens, mostrando, no ramo de oliveira, o símbolo dos dons futuros. Este mistério manifestamente se realiza na plenitude dos tempos, quando, lavados nas águas do Batismo todos os crimes cometidos, a unção deste óleo dá ao nosso rosto beleza, serenidade e paz. Também a Moisés, vosso servo, confiastes o mandato de constituir sacerdote, pela infusão deste óleo, a seu irmão Aarão depois de purificado pela água. Honra maior se veio juntar a esta, quando o vosso Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, exigiu de João que O batizasse nas águas do Jordão; foi então que, enviando do alto, em forma de pomba, o Espírito Santo, declarastes por palavra que vosso Filho Unigênito era todo o vosso enlevo e comprovastes que Ele era o vosso Cristo, ungido como ninguém com o óleo da alegria, conforme cantou o profeta David. 
Todos os concelebrantes estendem a mão direita para o crisma, até ao fim da oração, sem dizerem nada. 
Por isso, nós Vos pedimos, Senhor: dignai-Vos santificar e ✠ abençoar este óleo, e comunicar-lhe a virtude do Espírito Santo, pelo poder do vosso Cristo, de cujo Nome santo recebeu o nome de crisma; com ele ungistes os vossos sacerdotes, reis, profetas e mártires; convertei este crisma em sacramento de salvação e vida perfeita para aqueles que hão-de ser renovados no santo Batismo; recebida a unção santificante, e superada a corrupção do primeiro nascimento, sejam templos da vossa majestade e exalem o perfume de uma vida santa; segundo o mistério do vosso plano salvador, recebam a dignidade real, sacerdotal e profética e sejam revestidos da graça e da imortalidade; para os que renascerem da água e do Espírito Santo, seja este óleo crisma de salvação, e os torne participantes da vida eterna e da glória celeste. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. AMÉM!
ORAÇÃO N. 2
Senhor nosso Deus, autor dos sacramentos e fonte da vida, nós Vos damos graças pela vossa inefável piedade, porque, já na Antiga Aliança, nos fizestes entrever o mistério do óleo santificador, e depois, quando chegou a plenitude dos tempos, claramente o manifestastes em vosso amado Filho. Quando Jesus Cristo, nosso Senhor, pelo seu mistério pascal salvou o género humano, encheu do Espírito Santo a vossa Igreja e maravilhosamente a cumulou de dons celestes para consumar no mundo, por meio dela, a obra da salvação. Pelo sagrado mistério do crisma, enriqueceis de graças os vossos filhos; renascidos pela água baptismal, são fortalecidos pela unção do Espírito, e, configurados com o vosso Cristo, nosso Senhor, participam do seu múnus de profeta, sacerdote e rei. 
Todos os concelebrantes estendem a mão direita para o crisma, até ao fim da oração, sem dizerem nada. 



Por isso, nós Vos pedimos, Senhor: esta mistura de óleo e perfume seja, por vossa graça, sacramento da vossa ✠ bênção; derramai com abundância os dons do Espírito Santo sobre os nossos irmãos, assinalados com esta unção; marcai com o esplendor da santidade os lugares e objetos ungidos com os santos óleos e acima de tudo fazei crescer a vossa Igreja pelo mistério deste óleo, até que ela atinja aquela plenitude em que Vós, no esplendor da luz eterna, sereis tudo para todos, com Cristo, no Espírito Santo por todos os séculos dos séculos. AMÉM!


COMER PEIXE NA SEXTA-FEIRA SANTA É TRADIÇÃO?


Nenhum comentário:

Postar um comentário